weblogUpdates.ping A Minha Matilde & Cª http://www.umsonhochamadomatilde.blogspot.com/ link rel="shortcut icon" href="favicon.ico">

A Minha Matilde & Cª 

quarta-feira, outubro 12, 2005

"Boa Noite, Eu vou com as Aves"

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras, orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes, leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?


"Boa Noite, Eu vou com as Aves"
Recital de Tributo ao Poeta Eugénio de Andrade
Interpretado por Tânia Silva e Afonso Dias,
A Realizar no Proximo dia 14 de Outubro ás 21h30m,
Na Biblioteca Municipal de Loulé
Sophia de Mello Breyner Andresen.

Etiquetas:

Share Subscribe
9 Comments:
Blogger Miguel said...

Para quem gosta de poesia!

Não Percam esta possibilidade de ouvir Eugénio de Andrade!

Para quem, por razões obvias, não puder comparecer;

Aqui fica o Poema "As Palavras" para o vosso contentamento!

Bjks da Matilde

10:04 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Your blog is dating interesting in free dating I'm sure you'd be interested in dating services free dating dating services

10:12 da tarde  
Blogger Å®t_Øf_£övë said...

Miguel,
As poesias de Sophia de Mello Breyner são fantásticas.
Bjs pra Matilde.

11:59 da tarde  
Anonymous workaholicks said...

Olá miguel...podes ir ao workaholciks buscar uma fatia de bolo que reservámos para ti. Obrigada pelas tuas visitas e comentários. BEijos

8:10 da manhã  
Anonymous sol13 said...

Não sei se vou conseguir ir, mas gostava muito.
Bejokas

9:53 da manhã  
Blogger UnaRagazza said...

Tributo bem merecido!

11:22 da manhã  
Blogger Ana said...

a poesia é muito bonita... a força das palavras pintadas de uma forma maravilhosa por quem as sabe colocar no sitio certo...

jokas

11:37 da manhã  
Blogger João Scottex said...

Eu vou! E tu?
Abraço.

12:45 da tarde  
Blogger Ana Luísa said...

A distância geográfica impossibilita a presença mas a poesia de Sophia de Mello Breyner é intemporal e não tem locla nem hora marcada para ser sempre agradável...

1:46 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home